quarta-feira, março 20

Vítor Gaspar recua e deixa tudo em aberto quanto aos cortes de 4 mil milhões


Em Outubro do ano passado o primeiro-ministro Passos Coelho lançou a concretização de uma reforma do Estado até ao final de 2014 como uma prioridade, ao abrigo de uma “refundação do Memorando”. A reforma compreendia cortes estruturais de despesa de “pelo menos” 4 mil milhões de euros até final do próximo ano, uma intenção várias vezes reiterada pelo governo e que levou à realização apressada de conferências sobre o estado do Estado e ao derramamento de rios de tinta de polémica sobre o assunto.

Marcadores: , ,

INSTAGRAMS by @rogerio_barroso