sábado, março 9

Guilherme d’Oliveira Martins. “Não se podem fazer cortes cegos nas políticas sociais”


O Tribunal de Contas multou 121 responsáveis num total de 301 mil euros e obrigou à reposição de 22 314 euros em 2012. As infracções mais comuns foram a realização de trabalhos a mais em empreitadas e os ajustes directos, no que diz respeito à contratação pública, e pagamentos ilegais, nomeadamente vencimentos e subsídios, no âmbito das normas do direito financeiro. O presidente do Tribunal de Contas, Guilherme d’Oliveira Martins, diz que “tem havido progressos na transparência e no rigor” e garante que os cidadãos podem estar tranquilos “que não será pago nem um tostão a mais do que é devido”. Mas ainda há falhas. 

Marcadores: , ,

INSTAGRAMS by @rogerio_barroso